Author Archives: Dr.(a)

Lugar da nossa terapêutica

acupuntura estetica1 300x2252 300x225 - Lugar da nossa terapêutica

É diferente nas formas agudas e crónicas.

Nas primeiras, utilizada de início, pode fazer cessar completamente a evolução e, de qualquer modo, diminui-lhe a duração.

Nas segundas, trata-se de um dos numerosos meios que podemos utilizar para estabilizar o doente, e, como sempre, sem perigo. É uma ajuda preciosa para a cinesioterapia respiratória.

Causas

Ataque Cardiaco 232x300 - Causas

Como já dissemos, a insuficiência cardíaca é a fase terminal da evolução de doenças dos pulmões ou do coração.

Primeiro do pulmão, porque este órgão é uma verdadeira esponja de sangue. Desde que haja uma resistência à passagem desse sangue, o coração força-se, esgota-se; chegamos à insuficiência cardíaca direita, mais global. É o que se passa em caso de bronquite crónica, de enfisema, etc.

Depois do coração. Entre as doenças do coração que conduzem à insuficiência cardíaca, as mais frequentes são as doenças que atingem as válvulas do coração, o enfarte do miocárdio, que torna não funcional uma parte do músculo cardíaco, ou certas doenças do próprio músculo (miocardiopatias).

Definição

1 normal retina 300x199 - Definição

Antes de expor sobre as doenças da retina, convém precisar bem o que é este órgão.

Apresenta-se sob a forma de uma película, de uma «pele», se quisermos, que cobre o fundo do olho. Como o olho é, de certo modo, uma «bola», concebemos que o seu fundo seja uma semiesfera cuja concavidade está virada para a frente. É precisamente essa concavidade que é coberta pela retina.

Mas tal «película» não é outra coisa senão um alargamento do nervo da visão, o nervo óptico.

É a retina que recebe as imagens do exterior e as transmite ao cérebro; para isso, dispõe de duas categorias de células, os cones e os bastonetes, estando os primeiros preferencialmente encarregados da recepção das cores, e os segundos das formas.

Se acrescentarmos que todo este conjunto nervoso recebe o seu sangue de uma artéria que acompanha o nervo óptico, concebemos a complexidade deste aparelho da visão. É de notar que esta artéria, proveniente do interior da cabeça, basta, por simples observação, para nos dar uma ideia do estado das artérias do cérebro, e temos nela um meio simples para apreciar a circulação cerebral.

Causas

download 31 - Causas

A investigação das causas da obesidade já fez gastar milhões e correr rios de tinta.

As opiniões — tal como sempre acontece em medicina — evoluíram muito.

Primeiro começou-se por querer incriminar as «glândulas», e sobretudo as glândulas endócrinas, que se acabavam de descobrir, porque doenças raras (mixedema, etc.) se fazem acompanhar por uma sobrecarga de gorduras. Mas trata-se de excepções.

Posteriormente, em pleno período freudiano, pretendeu-se incriminar o excesso de alimentação, a «hiperfagia» do sujeito bloqueado na «fase oral».

Finalmente, na nossa época, regressando à hereditariedade, há quem se esforce por identificar os «genes» como responsáveis pelo aspecto bem nutrido.

Há uma parte de verdade em quase todas estas teorias.

— É certo que intervém com frequência um fator hereditário e que há famílias de obesos, sendo este fator hereditário, aliás, bastante próximo do da diabetes, já que ambas as doenças se encontram muitas vezes em simultâneo.

— Nem por isso é menos verdade que existe, pelo menos com igual frequência, uma «hereditariedade dos maus hábitos», na qual, com a maior boa-fé, o «atulhamento» começa logo na infância, e as pessoas comem demasiado sem sequer se darem conta.

— Há também as más condições da vida atual, a posição sentada por tempo excessivo, no escritório ou no automóvel, as refeições de negócios, o «petisco» de toda a espécie, que sobrecarregam o indivíduo.

— Há a causa psicológica: o indivíduo que come «qualquer coisita» ao longo de todo o dia para compensar o seu tédio ou a sua angústia.

— E, muito recentemente, descobriu-se que estão em causa mediadores químicos, esses misteriosos «mensageiros» do sistema nervoso; diferentes na obesidade do adulto, no qual se trataria de um estimulador da secreção da insulina que teria como efeito carregar as células de gordura, enquanto, na criança, é a secreção excessiva de prolactina, hormona normalmente «carregada» da lactação, que multiplicaria o número das células gordas.

Definição

osteo 10241 271x300 - Definição

Qualquer perda anormal de sangue pela vulva, que ocorra na mulher.

Mas, dir-se-á, a perda de sangue é normal na mulher, uma vez que se trata das regras.

Por isso é necessário precisar que a perda pode ser anormal em função de três razões:

• Ou porque ocorre por altura das regras, mas em quantidade ou com uma duração excessivas; estas hemorragias designam-se por menorragias;

• Ou ocorrem fora do período menstrual: são as metrorragias;

• Ou surgem antes ou após as idades em que a mulher é menstruada, na menina ou na mulher idosa.

Sinais e formas

foto012009 3 12 06 57 58BALTAZAR 300x199 - Sinais e formas

1) A epilepsia acima descrita é a chamada grande crise de epilepsia, ainda agora designada como «grande mal», com as suas três fases sucessivas:

a) Tónica, na qual o doente cai redondamente, rígido como uma tábua;

b) Clónica, na qual o doente é atingido por convulsões musculares breves, repetidas e bruscas;

c) De estupor, na qual o doente se sente confuso, não se recordando, em absoluto, do que se passou.

É esta a forma mais frequente, mas há outras duas que podem existir quer isoladamente, quer alternadamente com a primeira, e que são:

2) A epilepsia de Bravais-Jackson, assim designada a partir dos nomes daqueles que a descreveram, na qual o doente não perde a consciência, mas vê uma parte do seu corpo (um braço, por exemplo) agitada por movimentos involuntários, que duram mais ou menos tempo.

3) O «pequeno mal», cuja manifestação mais espetacular é a «ausência». O doente, que muitas vezes estava a falar, cala-se bruscamente; os seus olhos tornam-se vagos ou parecem fixar um ponto imaginário.

Ao fim de alguns segundos, ou alguns minutos, retoma o seu discurso, não tendo, também neste caso, qualquer recordação desta suspensão temporária da consciência.

Dr.(a), autor em Pontos que Curam | ferramenta de diagnóstico e esclarecimento. Arquivo | Pontos que Curam | ferramenta de diagnóstico e esclarecimento.
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com