Author Archives: Dr.(a)

Formas e sinais

luva 300x300 - Formas e sinais

Compreende-se assim que as patologias da próstata se traduzam sobretudo por meio de sinais urinários.

Esta patologia inclui três grandes capítulos: as prostatites, o adenoma e o cancro.

As prostatites estão ligadas à infecção da glândula. Os micróbios em causa podem ter origem nas vias urinárias infectadas, ou então numa infecção à distância: furúnculos, ou até mesmo tuberculose pulmonar. A doença começa em geral subitamente, com arrepios, febre alta, dor no baixo-ventre. Se não há intervenção, forma-se um abcesso que se abre para a uretra ou contamina o testículo.

Um tratamento enérgico cura geralmente o abcesso e as suas consequências. Mas se não é o caso, a doença evolui para uma prostatite crónica com períodos de acalmia e crises que lhe dão uma cronicidade desesperante.

O adenoma prostático, a «próstata» dos homens idosos, muito mais frequente, é uma coisa diferente. Trata-se de um aumento de volume e de um endurecimento de uma parte da glândula.

Infelizmente, esta está situada para cima e faz hérnia na bexiga; cria-se assim, para trás, uma profundidade vesical donde a urina não pode sair, o que explica todos os sintomas da doença: vontade de urinar frequente ao princípio, porque a bexiga procura «forçar» o obstáculo, depois, pelo contrário, distensão vesical quando o órgão já não tem força para reagir e muitas vezes também retenção de urina porque o canal da uretra, estrangulado pelo adenoma, já não deixa passar a urina.

Quanto ao cancro da próstata, traduz-se por uma sintomatologia que recorda a do adenoma, mas com uma evolução muito mais rápida. Pode também revelar-se, infelizmente, por uma metástase, isto é, um «enxerto» canceroso nos ossos ou no pulmão. É sempre de recear, mas é bastante fácil conseguir um diagnóstico precoce, porque é um dos raros cancros que têm uma «assinatura» biológica (elevação das fosfatases ácidas no sangue).

Lugar da nossa terapêutica

acupuntura estetica2 300x225 - Lugar da nossa terapêutica

Se existem doenças que à primeira vista, parecem inacessíveis à nossa terapêutica, essas são as doenças mentais. E, todavia, na China, hospitais psiquiátricos na sua totalidade consagram-se ao tratamento dos esquizofrénicos através da medicina tradicional.

Definição

Dôr de Barriga1 300x200 - Definição

Todas as dores cuja origem está no estômago e, podemos acrescentar, na primeira parte do duodeno, «o bulbo» em terminologia radiológica. Estas dores são geralmente sentidas na «boca do estômago», em termos científicos, o epigastro. Todavia, convém realçar duas coisas:

— Primeiro, as perturbações da primeira parte do intestino delgado, que se chama duodeno, e do piloro, zona fronteira entre o estômago e o intestino, produzem praticamente os mesmos sintomas que as do estômago, e podem ser confundidas com elas;

— Além disso, numerosos órgãos do ventre, e mesmo do tórax, podem «fazer doer» o epigastro; a vesícula biliar, o fígado, o pâncreas, até mesmo o coração e a pleura.

Por isso é sempre preciso consultar um médico a fim de se poder saber qual a causa real.

Lugar da nossa terapêutica

amigdalite o que e sintomas tratamentos 300x183 - Lugar da nossa terapêutica

É precisamente para suprimir a «dor de garganta» que ela é insubstituível. Vemos desaparecer muito rapidamente a sensação de queimadura, a dor, a dificuldade na deglutição.

Se se tratar de uma simples angina viral, poderá bastar para a fazer desaparecer.

Modo de emprego

Na forma fria ou de «invasão», estimule o mais cedo possível os pontos, de hora a hora, ou utilize uma estimulação enérgica, eléctrica, por exemplo.

Na forma já atenuada, estimule os pontos duas a três vezes por dia.

Uma estimulação efetuada a tempo (no primeiro meio dia) deve fazer cessar nitidamente a evolução de uma gripe.

Os pontos

meridian image 300x176 - Os pontos

Há três pontos interessantes:

O primeiro está situado sobre o pulso, do lado da palma da mão, mesmo no meio dele, e a dez dedos acima da ruga de articulação.

O segundo está colocado ao longo do bordo interno e por trás da tíbia, numa pequena concavidade, a uma mão acima do tornozelo.

O terceiro é sobre o rebordo do crânio, a três dedos da linha mediana.

Dr.(a), autor em Pontos que Curam | ferramenta de diagnóstico e esclarecimento. Arquivo | Pontos que Curam | ferramenta de diagnóstico e esclarecimento.
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com