Category Archives: Circulação

Lugar da nossa terapêutica

medicament 300x200 - Lugar da nossa terapêutica

É boa porque leva a uma dilatação controlada das artérias, não certamente das que se encontram totalmente obstruídas, mas das redes de vasos que permanecem funcionais e podem durante muito tempo assegurar um suficiente fornecimento de sangue às pernas. Por isso deve ser sistematicamente associada às terapêuticas médicas. É desejável que os seus efeitos sejam seguidos através da melhoria do estado (aumento da distância de marcha) e da repetição dos «Doppler».

Causas

Ataque Cardiaco 232x300 - Causas

Como já dissemos, a insuficiência cardíaca é a fase terminal da evolução de doenças dos pulmões ou do coração.

Primeiro do pulmão, porque este órgão é uma verdadeira esponja de sangue. Desde que haja uma resistência à passagem desse sangue, o coração força-se, esgota-se; chegamos à insuficiência cardíaca direita, mais global. É o que se passa em caso de bronquite crónica, de enfisema, etc.

Depois do coração. Entre as doenças do coração que conduzem à insuficiência cardíaca, as mais frequentes são as doenças que atingem as válvulas do coração, o enfarte do miocárdio, que torna não funcional uma parte do músculo cardíaco, ou certas doenças do próprio músculo (miocardiopatias).

Evolução

Implante causador de tumor 217x300 - Evolução

Daí concebermos que as evoluções sejam muito diversas. Uma hipertensão maligna conduz certamente a perturbações cardíacas, cerebrais, oculares ou renais.

Não é uma certeza que seja necessário tratar as hipertensões benignas. Para as hipertensões «médias», as mais frequentes, o tratamento deve ser condicionado segundo os casos.

Tratamentos habituais

28032013exameinsuficienciafotomarcos santos071 300x200 - Tratamentos habituais

Têm duas finalidades:

— Diminuir ao máximo os líquidos do organismo para facilitar o trabalho de «bomba» do coração, donde dieta sem sal e diuréticos que, fazendo urinar, eliminam os edemas;

— Tonificar o músculo do coração, e, a par da velha e sempre útil digitalina, surgiram novos produtos, como os nitritos, por exemplo.

Formas

edema pulmonar 300x225 - Formas

É clássico distinguir a insuficiência do coração direito, no qual é a parte do coração que envia o sangue para os pulmões que é atingida, e a insuficiência do coração esquerdo, em que é o resto do órgão que se encontra enfraquecido.

Na verdade, na maioria dos casos a insuficiência cardíaca é global.

Lugar da nossa terapêutica

acupuntura estetica1 300x2252 300x225 - Lugar da nossa terapêutica

Esta não é indicada nas flebites profundas ou superficiais, nas quais só poderá ter um papel complementar.

Atua pouco sobre a dilatação varicosa em si, mas, pelo contrário, os seus efeitos sobre as suas consequências são excelentes, quer se trate da sensação de pernas pesadas, inchaços ou edemas ou até mesmo de úlceras varicosas; a sua utilização regular leva a melhoras importantes e tem um papel de prevenção substancial quando se pretende evitar a sua aparição.

Tratamento habitual

remedio 300x215 - Tratamento habitual

O tratamento anticoagulante revolucionou a evolução das flebites e, utilizado preventivamente nos operados, impede que ela ocorra.

Esse tratamento não é necessário nas periflebites; estas exigem a utilização de anti-inflamatórios e a extração cirúrgica do pequeno coágulo.

O tratamento das varizes é mais complexo; utiliza medicamentos vegetais e, além disso, possui duas técnicas mais rigorosas: a extirpação cirúrgica da veia e a sua esclerose por meio de injeções, na veia, de quinino ou de iodo.

Os dois métodos associam-se e completam-se, é preciso saber que as escleroses deverão ser feitas de novo, porque se formam incessantemente novas varizes a esclerosar, em média de ano a ano.

Sinais e formas

IMG 0415 224x300 - Sinais e formas

A flebite profunda ocorre, na grande maioria dos casos, após uma intervenção cirúrgica ou um parto. Os médicos do século passado já tinham descrito muito bem esta doença: todo o membro fica grosso, branco e mole, e tal situação é acompanhada por dor e febre.

Na verdade, nos nossos dias, não se chega a esse estado. Logo que um operado sente uma pequena dor na barriga da perna, ou uma dormência, ou uma sensação de peso, é preciso iniciar o tratamento a fim de evitar essa evolução e as suas complicações, entre as quais a temível embolia pulmonar.

A periflebite é muito diferente. Na sequência de um choque ou de uma ferida do pé, ou ainda espontaneamente, surge uma placa vermelha sobre a barriga da perna, que não se deve confundir com um abcesso. Mas muito depressa se forma um «cordão venoso»; a veia endurece, transforma-se num cordão duro, vermelho e doloroso. O coágulo encontra-se sob a pele, na parte alta desse cordão.

As varizes aparecem primeiro sob a forma de varicosidade, fina rede capilar que se manifesta em zonas das coxas ou das pernas.

Depois forma-se a variz propriamente dita; a veia, até então pouco visível sob a pele, incha e assemelha-se a uma verdadeira serpente tortuosa ao longo da perna e da coxa.

Esta fase é precedida por todo um passado de sensações de «perna pesada», depois de inchaço, «de edema», que surge primeiro à noite e depois durante todo o dia.

Infelizmente, seguem-se, com frequência, múltiplas complicações: pigmentação ocre da perna, esclerose envolvente, verdadeira bota de pele apertada em redor da perna, e sobretudo úlceras varicosas, pequenos buracos situados geralmente acima dos tornozelos, muitas vezes horrivelmente dolorosos e muito persistentes.

Circulação | Pontos que Curam | ferramenta de diagnóstico e esclarecimento.
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com