Category Archives: Sistema nervoso

Os pontos

meridian image2 300x176 - Os pontos

Sendo todos igualmente importantes, dividem-se da seguinte forma:

Pontos na origem das lesões e pontos ao nível das lesões.

1) Pontos na origem: Nas hemiplegias (paralisia de metade do corpo), estes pontos estão situados sobre
o crânio:

O mais importante, no topo deste, na junção da linha mediana e daquela que passa pelas duas orelhas: um outro, na nuca, no rebordo posterior do crânio, no meio deste.

Nas paraplegias (paralisia das duas pernas), o ponto está situado na região lombar, por cima do osso sacro, sob a última vértebra sensível ao dedo (quarta vértebra lombar).

Nas polinevrites, o ponto está situado sobre o lado exterior da barriga da perna, adiante da cabeça do perónio.

2) Pontos ao nível das lesões: Para o ombro, a meio do declive deste:

Para o braço, na extremidade exterior da dobra do cotovelo;

Para o antebraço, a meio deste (do lado do dorso da mão), a meia distância entre

Os seus bordos e as dobras do cotovelo e do pulso;

Para a mão, sobre o dorso da mão;

Para os dedos, ao longo destes;

Para a anca, por trás da cabeça do fémur;

Para a coxa, ao meio das faces anterior e posterior;

Para a perna, adiante da cabeça do perónio;

Para o pé, a meio da dobra dorsal do pé e do dorso deste;

Para os dedos do pé, na base destes.

Definição

INCLUSÃO MOTORA 300x225 - Definição

A paralisia é a abolição da motricidade numa ou várias partes do corpo.

Esta abolição está ligada a uma interrupção do funcionamento nervoso motor; pode ter a sua origem numa afeção do sistema nervoso em todo o seu trajeto, desde o cérebro, onde se encontram zonas especializadas (áreas motoras) correspondentes às diversas partes do corpo, até à extremidade da arborização terminal nervosa. É assim possível conceber a extrema diversidade das doenças que as causam, cuja descrição é de molde a encher vários volumes de medicina. Por isso, contentar-nos-emos com descrever as suas formas principais, porque a aplicação da nossa terapêutica depende do sector atingido, e não propriamente da causa.

Os pontos

meridian image2 300x176 - Os pontos

Neste caso, trata-se sobretudo de zonas que devem ser massajadas regularmente:

A primeira é a dobra do pulso

A segunda sobre o ventre, na linha mediana entre o tórax e o umbigo.

A terceira é um ponto situado sobre o crânio, no seu ponto mais alto, no cruzamento da linha mediana e de uma linha que passa pelo alto das duas orelhas.

Os pontos

meridian image1 300x176 - Os pontos

Dois principais, dois acessórios;

Os principais:

O primeiro está situado no alto do crânio (o ponto mais alto do corpo) e na junção da linha mediana e da que passa pela parte superior das orelhas.

O segundo sobre o lábio superior, na junção dos dois terços superiores e do terço inferior.

Os acessórios:

O primeiro está situado na raiz do nariz, entre as sobrancelhas.

O segundo na ponta do esterno.

Os pontos

meridian image2 300x176 - Os pontos

Existe um ponto comum a todas as intoxicações e outros mais específicos para cada uma.

Os pontos específicos:

Para as drogas: um estudo feito em Tolosa demonstra o interesse de dois pontos a estimular eletricamente:

Um sobre o rebordo posterior do crânio, a dois dedos da implantação da orelha;

O outro na raiz do nariz;

Para o álcool: um ponto situado na ponta do nariz, o «Pitchun».

Para o tabaco: toda uma zona que rodeia a raiz do hélix, sobre a orelha.

Causas

21052012 esquzofreniaFotoMarcosSantos004 300x200 - Causas

As ideias sobre as doenças mentais têm, como sempre, evoluído segundo as diferentes épocas.

Após uma fase em que tudo era orgânico, e durante a qual se procuraram lesões em zonas precisas do cérebro, foram responsabilizadas perturbações psicológicas puras ligadas ao meio individual e social.

Hoje, regressa-se ao orgânico com a descoberta de perturbações de funcionamento das células do cérebro: os neurónios. Como sempre acontece, cada período contribuiu com a sua parte de verdade.

Por vezes, bastante raramente, é certo, lesões anatómicas do cérebro (tumores, por exemplo) traduzem-se por uma psicose. Também o ambiente tem o seu papel, ainda que este não seja determinante, e uma família que dê segurança é um bom fator de cura para um doente mental.

Mas os progressos mais importantes foram avançados pelo estudo da química do cérebro, e sobretudo desses famosos «mediadores» que transmitem o influxo de um a outro neurónio.

É quase certo que a esquizofrenia se faz acompanhar de uma perturbação da secreção das endorfinas, essas morfinas naturais antidor que o cérebro segrega, em particular sob a ação da acupunctura.

E isso não é mais do que o início de uma pesquisa árdua, mas prometedora.

Tratamento habitual

IM 004 300x200 - Tratamento habitual

Para além dos casos em que é encontrada uma causa curável, o tratamento consiste em tomar durante muito tempo, ou até mesmo indefinidamente, produtos químicos, entre os quais o mais conhecido é o gardenal.

Estes medicamentos não têm senão um papel de proteção e não possuem qualquer efeito curativo.

Formas e Sinais

Saiba Mais6 300x300 - Formas e Sinais

No que se refere à droga ou, melhor dizendo, às drogas, elas são muito numerosas, e, por isso, apresentam um grande número de aspectos diversos. É habitual dividi-las em «drogas leves» e «drogas duras», estando as primeiras representadas principalmente pelo haxixe ou pela marijuana, as segundas pelos derivados do ópio (o famoso LSD encontra-se em vias de desaparecimento). Mas a estas acrescenta-se uma infinidade de produtos novos que vão até à cola diluída uma vez que o engenho dos drogados avança tão rapidamente como as descobertas da química moderna.

Como se traduzem, sobretudo no caso das drogas duras, as intoxicações?

Pode ocorrer um acidente agudo, uma overdose que mata o infeliz toxicómano, muitas vezes adolescente, cujo cadáver é descoberto numa qualquer espelunca sórdida. Pode também haver infecções graves que sobrevêm às injeções dadas sem assepsia: septicemias, hepatites, etc.

Mas o que geralmente os pais desesperados querem saber é se o seu filho se droga. Não existe uma resposta formal para esta interrogação, mas há que desconfiar de uma modificação brusca do carácter ou do aproveitamento escolar, de um comportamento estranho, no qual alterna a agressividade e um «angelismo» excessivo.

Quanto ao álcool, as suas manifestações são bem conhecidas.

O alcoolismo agudo é marcado inicialmente por uma fase de euforia, de excitação, que evolui para a incoerência da linguagem e dos gestos. Depois surge o abatimento, o bebedor vomita e adormece pesadamente; o indivíduo está como morto e pode mesmo morrer da sua embriaguez. Mas, geralmente, sai, passadas algumas horas, da sua «ressaca», com dores de cabeça, náuseas, a boca empastada e seca.

Se não vai mais além, e sobretudo se não recomeça, essa crise aguda não tem consequências.

As coisas passam-se de modo completamente diferente com o alcoolismo crónico, cuja frequência não cessa de aumentar: é-se um alcoólico se se consumir mais de 11 de vinho por dia, no caso da mulher,
e mais de 1,5 1 no caso do homem. E isto sem falarmos dos aperitivos e
digestivos diversos.

Os sintomas principais são digestivos e nervosos.

As perturbações digestivas começam com aquilo que se designa por «pituita», marcada por ardores no estômago, vómitos ácidos. E isto acaba na irreversível cirrose, com um fígado aumentado ou, pelo contrário, diminuído de volume, e ascite, «barriga de água».

As perturbações nervosas afetam os membros inferiores e traduzem-se por uma paralisia parcial das pernas: a polinevrite.

Mas afetam também o cérebro, provocando desordens do comportamento que levam à imbecilidade e à demência, com todas as suas desastrosas consequências pessoais, familiares e sociais.

É preciso saber que existe atualmente um teste biológico que permite apreciar o grau de «inibição» do sujeito: a dosagem da Gama-G.T.

As coisas passam-se de modo completamente diferente com o alcoolismo crónico, cuja frequência não cessa de aumentar: é-se um alcoólico se se consumir mais de 1 1 de vinho por dia, no caso da mulher, e mais de 1,5 1 no caso do homem. E isto sem falarmos dos aperitivos e digestivos diversos.

E o tabaco? O último, mas não o menos importante.

Na verdade, só há relativamente pouco tempo se sabe que a sua prática, durante muito tempo considerada como divertida, e até mesmo valorizadora, é, também ela, terrivelmente nociva. É certo que os quadros não são tão dramáticos como os do drogado e do alcoólico, mas a intoxicação pelo tabaco multiplica os dois flagelos do mundo moderno: as doenças cardiovasculares e os cancros.

Lugar da nossa terapêutica

acupuntura estetica1 300x2252 300x225 - Lugar da nossa terapêutica

Assim, o seu lugar não vai além de um tratamento de urgência, mas por isso mesmo reveste-se de uma importância considerável.

Com efeito, é frequente uma estimulação enérgica poder fazer sair o doente do coma; um pormenor pitoresco vem documentar essa possibilidade: a origem da expressão croque-mortK Quando havia dúvidas sobre a morte de um indivíduo que se encontrava em coma, o indivíduo a cargo do qual estava o enterro mordia-lhe com toda a força o dedo mínimo. Quando ainda havia vida nele, o doente ressuscitava.

Um dos nossos pontos situa-se precisamente a esse nível.

Sistema nervoso | Pontos que Curam | ferramenta de diagnóstico e esclarecimento.
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com