Tag Archives: Dor

Sinais

376x250 - Sinais

São essencialmente dois:

Primeiro a dor, mas atenção, esta dor nem sempre se situa na anca; na maior parte das vezes é irradiada no joelho;

Depois vem o coxear: no adulto, de forma evidente; na criança, é preciso uma observação muito cuidadosa, porque o pequeno doente tem tendência para dissimular que coxeia, através de uma modificação da marcha.

A radiologia permite precisar as lesões.

Evolução

Marta 1 300x225 - Evolução

Nunca se deve menosprezar a entorse do tornozelo.

Além da dor e da incapacidade profissional mais ou menos longa que decorre de uma primeira afecção, um tornozelo torcido tem tendência a provocar recidivas porque os ligamentos, verdadeiras «amarras» da articulação, foram rasgados.

De entorse em entorse, chega-se muitas vezes, particularmente na mulher que usa saltos altos, a um tornozelo instável constantemente inchado e doloroso, que transforma a infeliz numa pessoa verdadeiramente enferma.

Sinais

20100813124804 225x300 - Sinais

O primeiro sinal, e durante muito tempo o único, da arterite é a dor. Mas uma dor de um tipo muito especial, porque é consequente à marcha. O doente faz 100m a 200m e, subitamente, sente um espasmo doloroso nas barrigas das pernas, que o obriga a parar. Após um breve tempo de repouso, essa dor intensa desaparece e o doente pode caminhar de novo, para parar mais uma vez, 100m adiante. Este fenómeno é aquilo que se denomina «claudicação intermitente». E, coisa não habitual, é acompanhada por um arrefecimento dos pés, contrariamente àquilo que se passa com um sujeito normal, quanto mais o doente anda, mais os pés arrefecem, a ponto de se tornarem insensíveis.

Sinais e formas

1413980 86105267 menor 300x220 - Sinais e formas

Todas as doenças dos dentes, do nariz, dos seios faciais podem manifestar-se através de uma dor na face. Mas a forma mais específica das dores da face é a nevralgia facial, ligada à afecção do nervo trigémeo.

Por que é que este nervo tem um nome tão curioso? Porque, sendo aquele que dá sensibilidade à face, divide-se em três ramificações que emergem na pele em três pontos situados quase numa vertical, junto à
extremidade interna da sobrancelha, sob o olho e sobre a parte lateral do queixo.

Cada um destes «três gémeos» pode ser afetado pela doença, ou todos ao mesmo tempo.

Na forma típica, a nevralgia facial não engana; trata-se de um relâmpago doloroso, um verdadeiro flash como o dos fotógrafos, que segue muitas vezes o afloramento de uma zona dita «gatilho», trigger zone em inglês, sobre a maçã do rosto, as gengivas ou o nariz. A dor dura alguns segundos, mas que segundos!

Ela impede o infeliz doente de comer, de lavar os dentes, até mesmo de falar ou de rir. Pelo contrário, geralmente, entre duas crises (mas elas repetem-se, por vezes, com uma tão grande frequência!), não existe qualquer dor. Todavia, há que realçar que, noutros casos, existem dores menos intensas, mas
contínuas, que muitas vezes se fazem acompanhar de uma vermelhidão da face.

Descoberta dos mecanismos científicos da ação da Acupuntura

acupuntura primeclin 300x225 - Descoberta dos mecanismos científicos da ação da Acupuntura

Esta descoberta foi um dos mais espetaculares progressos não só da acupuntura. mas também da medicina em geral, neste último decénio É no domínio da dor que estes trabalhos se encontram mais avançados. Foi demonstrado que a estimulação dos pontos provoca reações a dois níveis:

• Ao nível da espinal medula, onde a sensação dolorosa e bloqueada por uma verdadeira «cancela» que impede a sua passagem para o cérebro. Pensou-se inicialmente que este bloqueio era de ordem elétrica e se fazia a um determinado nível da medula. Não é verdade; são vários andares medulares que estão interessados, e as estruturas nervosas segregam uma substância química, a substância P. cuja finalidade é reforçar a sensação dolorosa. A estimulação dos pontos bloqueia a libertação de substância P e reduz assim a importância da mensagem dolorosa.

• Por outro lado, ao nível do cérebro, são segregadas numerosas substâncias, denominadas mediadores químicos, que transmitem as ordens de uma célula nervosa para outra. Entre estes existem alguns, chamados endorfinas, que são verdadeiras morfinas naturais, substâncias antidor. Ora, e isto foi demonstrado de variadas maneiras, a acupuntura liberta essas morfinas naturais. Foram mesmo encontrados os pontos do cérebro onde elas são fabricadas em maior ou menor quantidade.

Além da questão da dor, outras descobertas foram feitas: conhece-se, mais ou menos, graças ao microscópio eletrónico, a estrutura dos pontos de acupuntura. Trata-se de pequenas formações nervosas, às quais chegam fibras nervosas particulares (provavelmente com origem no sistema nervoso do feto) que permitem transmitir a estimulação nervosa dez vezes mais depressa do que as outras formações nervosas. Compreende-se assim a razão pela qual. nas anestesias sob acupuntura é preciso iniciar a estimulação ainda antes do começo da operação para «fechar a cancela» antes da chegada da dor.
A par deste mecanismo, atualmente bem estabelecido, ainda há muita coisa a descobrir. Resumo esquematicamente as principais questões que se nos colocam;

— Que se passa ao longo dos misteriosos meridianos que sulcam o nosso corpo?
— Quais são as vias de passagem entre o ponto de estimulação e os recetores do cérebro?
— Por que é que alguns pontos têm uma ação direta (do mesmo lado do corpo) e outros uma ação cruzada (do outro lado)?
— Finalmente, como age a acupuntura diretamente sobre os órgãos? Não podemos esquecer que as endorfinas desempenham um papel na obesidade e na diabetes, e vimos que a acupuntura intervém na sua secreção.

A acupuntura abre assim um campo imenso de exploração a todos os níveis do nosso ser. Nesse sentido, foi possível dizer-se que da será uma das vias mais gloriosas da ciência medica do terceiro milénio.

Os pontos

meridian image 300x176 - Os pontos

O tratamento põe em jogo uma das regras mais antigas da medicina chinesa: a utilização do meridiano.

É preciso estudar com atenção o trajeto exato da dor. No geral, esses trajetos são em número de três e
podem terminar das seguintes maneiras:

1) Do lado do polegar;

2) Mais ou menos no meio do dorso da mão;

1) Do lado do dedo mínimo.

Os pontos encontram-se assim todos situados na ponta e na base dos dedos correspondentes, tal como é indicado.

Nota. — Ainda que o trajeto doloroso termine mais ou menos acima no braço, é preciso imaginar a sua continuação até ao dedo correspondente e estimular os pontos assinalados.

Sinais e formas

Massagem Para Dores de Cabeça 2 300x199 - Sinais e formas

Mesmo assim delimitada, a questão permanece muito ampla. Qual de nós nunca teve uma dor de cabeça?

Mas esta dor apresenta-se sob múltiplos aspectos.

Para começar, em múltiplos locais: dor em toda a cabeça, na testa, nas têmporas, na nuca, irradiada para os olhos, o pescoço, etc.

E também sob múltiplas formas: dor pulsátil, com ardor, surda ou, pelo contrário, como se a cabeça fosse «rebentar».

Finalmente, com múltiplos acompanhamentos: nariz tapado, vertigens, mas sobretudo náuseas e vómitos, o que está na base da famosa «crise de fígado» tão cara aos Franceses e que, na verdade, nunca existiu, porque é o fígado ou pelo menos as vias biliares que sofrem com a cabeça, e não o contrário.

Mas entre todas as formas, uma delas impõe-se: é a enxaqueca verdadeira. Segundo uma estatística recente, ela atingiria 25% da população. Vemos assim a sua importância social e económica, porque dá origem a uma enfermidade «intermitente», certamente, mas que nem por isso deixa de ser uma enfermidade.

Trata-se de uma afecção geralmente hereditária, que atinge metade da cabeça (hemicrânio), muitas vezes acompanhada por perturbações da visão (enxaqueca oftálmica) e incómodos digestivos e que ocorrem sem ou com um ritmo preciso (enxaquecas menstruais da mulher).

Tag "Dor" | Pontos que Curam | ferramenta de diagnóstico e esclarecimento.
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com