Tag Archives: Perturbações

Definições

Endrometriose 300x200 - Definições

Agrupamos aqui um certo número de perturbações que podem ocorrer no decurso das regras:

— Ou são exageradamente dolorosas: dismenorreia em termos científicos;

— Ou então os ciclos, isto é, o intervalo que separa as regras e que é normalmente de vinte e oito dias na espécie humana, apresentam-se abreviados ou prolongados, regularmente ou não.

Fazemos esta relacionação porque os pontos utilizados são os mesmos.

Sinais

cólica menstrual1 213x300 - Sinais

Além das perturbações das regras consideradas em si mesmas, há que dar atenção às perturbações que se lhes acrescentam: inchaço e dores dos seios, aumento de peso, dores de cabeça ou perturbações intestinais. Esses elementos poderão permitir detectar a causa exata.

O aspecto do sangue menstrual também tem importância, a sua cor mais ou menos vermelha, ou a presença de coágulos, de membranas, etc.

Definição

DSCN0117 1142x8571 300x225 - Definição

Todos estes incómodos têm como causa uma perturbação da circulação «de regresso» dos membros inferiores.

Sabemos que é através das artérias que o sangue é enviado aos tecidos pelo coração; estes são depois alimentados graças aos capilares, e, finalmente, o sangue regressa ao coração pelas veias.

As perturbações da circulação venosa são assim, essencialmente, doenças das veias.

Mas há dois sectores na circulação venosa dos membros inferiores, um profundo, por entre os músculos, quase junto aos ossos, e um superficial, que serpenteia sob a pele.

O maior acidente que pode ocorrer é a obturação de uma veia, bloqueada por um coágulo, estamos perante uma flebite, flebite profunda se atinge o primeiro sector, peri ou paraflebite se atinge o sector superficial.

A par deste acidente agudo, existe uma dilatação passiva das veias superficiais: são as varizes.

A partir destas duas doenças surgem todas as complicações possíveis: pernas inchadas, pernas pesadas, úlceras varicosas, etc. Ocupemo-nos delas, umas após outra.

Sinais

maxresdefault 300x168 - Sinais

É óbvio que o sinal mais evidente de todas estas deformações é a perturbação ocular. Esta afeta, conforme a anomalia em causa, uma parte do campo de visão. O míope vê bem «ao perto» e mal «ao longe»; o hipermetrope vê bem «ao longe» e mal «ao perto». Acontece o mesmo ao presbita, e o primeiro sinal de necessidade de óculos é quando ele afasta cada vez mais o seu jornal para o ler.

Tratamento habitual

images 9 - Tratamento habitual

Os tratamentos para tão grande número de doenças não podem ser aqui indicados senão resumidamente, dado que deles se ocupa uma especialidade médica de modo exclusivo: a otologia.

Esquematizemos simplesmente as terapêuticas para os casos mais frequentes. Embora no caso do rolhão de cerume seja suficiente extraí-lo mediante a utilização de um jacto de água (nunca um objecto metálico!), as doenças do ouvido médio, otites e retrações do tímpano, são do âmbito da cirurgia, o que levou à criação da maravilhosa cirurgia da otospongiose, feita com microscópio.

Pelo contrário, as perturbações do ouvido interno são estritamente médicas. A surdez súbita ligada a um problema circulatório representa uma situação de verdadeira urgência, que impõe a rápida utilização de
vasodilatadores. Mas quando o nervo auditivo está doente, não há nada a fazer senão utilizar aparelhos cada vez mais miniaturizados e requintados, que, todavia, nunca podem substituir completamente o órgão em questão.

Lugar da nossa terapêutica

acupuntura estetica2 300x225 - Lugar da nossa terapêutica

Seja qual for o interesse dos novos medicamentos, a nossa terapêutica continua a ter o seu lugar. Primeiro, porque na úlcera subsiste um problema. Nem sempre se sabe quando é possível interromper o tratamento para evitar recaídas, enquanto os pontos são úteis, porque podem ser estimulados indefinidamente sem perigo. Por outro lado, aliviam notavelmente as perturbações digestivas anexas: ardores, gases, inchaço, etc.

Sinais e formas

Massagem Para Dores de Cabeça 2 300x199 - Sinais e formas

Mesmo assim delimitada, a questão permanece muito ampla. Qual de nós nunca teve uma dor de cabeça?

Mas esta dor apresenta-se sob múltiplos aspectos.

Para começar, em múltiplos locais: dor em toda a cabeça, na testa, nas têmporas, na nuca, irradiada para os olhos, o pescoço, etc.

E também sob múltiplas formas: dor pulsátil, com ardor, surda ou, pelo contrário, como se a cabeça fosse «rebentar».

Finalmente, com múltiplos acompanhamentos: nariz tapado, vertigens, mas sobretudo náuseas e vómitos, o que está na base da famosa «crise de fígado» tão cara aos Franceses e que, na verdade, nunca existiu, porque é o fígado ou pelo menos as vias biliares que sofrem com a cabeça, e não o contrário.

Mas entre todas as formas, uma delas impõe-se: é a enxaqueca verdadeira. Segundo uma estatística recente, ela atingiria 25% da população. Vemos assim a sua importância social e económica, porque dá origem a uma enfermidade «intermitente», certamente, mas que nem por isso deixa de ser uma enfermidade.

Trata-se de uma afecção geralmente hereditária, que atinge metade da cabeça (hemicrânio), muitas vezes acompanhada por perturbações da visão (enxaqueca oftálmica) e incómodos digestivos e que ocorrem sem ou com um ritmo preciso (enxaquecas menstruais da mulher).

Causas

dom 300x300 - Causas

Certas causas de amenorreia são perfeitamente naturais; a gravidez é o melhor exemplo, é sempre a primeira situação em que se deverá pensar.

Nas idades extremas da vida genital da mulher, puberdade, menopausa, pode haver interrupções das regras. É admitido que, nos nossos climas, a puberdade ocorre normalmente entre os doze e os dezasseis anos, a menopausa entre os quarenta e cinco e os cinquenta e cinco.

Mas pode haver puberdades tardias e menopausas precoces, que nem por isso são menos normais.

Quando a ausência de regras é verdadeiramente anormal, poderá ocorrer a diversos níveis do aparelho genital. Para isto ser facilmente compreendido, deve-se observar o esquema que se segue. Como vemos, intervêm nas regras três órgãos principais: primeiro, o útero ou matriz, donde provém o sangue, e que é o órgão «básico», por assim dizer; depois os ovários, glândulas do ventre que soltam um óvulo uma vez por mês, mas que também, por intermédio das duas substâncias que lançam no sangue, fazem fabricar pela matriz o «ninho», no qual, se houver fecundação, o ovo humano irá alojar-se. Se não houve fecundação, o «ninho» já não tem razão de ser e é eliminado com o sangue menstrual ao fim de um mês, para dar lugar a um novo ciclo.

Mas não é tudo. Existe no crânio, na base do cérebro, uma terceira glândula, a hipófise, que controla ela própria o funcionamento dos ovários.

Se a tudo isto acrescentarmos que a hipófise está aberta a numerosas influências, nervosas em particular, vemos quanto esta arquitetura extraordinariamente complicada pode estar sujeita a incidentes ou a acidentes.

Ao nível do útero, pode ser uma má anatomia do órgão ou uma falta de receptividade às hormonas do ovário.

Ao nível dos ovários, pode haver quistos de diferentes estruturas ou más ovulações.

Ao nível da hipófise, tumores ou perturbações de funcionamento, ligados especialmente às influências cerebrais. Todos sabemos que uma emoção pode fazer parar as regras… ou provocar o seu aparecimento.

Assim, todas as amenorreias exigem um exame aprofundado, mas, felizmente, na maior parte dos casos, trata-se mais de perturbações funcionais do que de alterações orgânicas.

Definição

esquizofrenia e1348490659525 258x300 - Definição

Dentro da multiplicidade das doenças mentais, era clássico, noutros tempos, dividi-las em neurose e psicose, com base na seguinte situação: nas neuroses, fossem quais fossem as perturbações apresentadas, o doente mantinha o contacto com o real. Por exemplo, podia ter alucinações; mas reconhecia-as como sendo estranhas a si próprio. Nas psicoses, pelo contrário, vivia-as como fazendo parte de si; não estabelecia a diferença entre o seu mundo interior e o mundo exterior.

Era por isso «alienado», o que, no sentido etimológico, quer dizer estrangeiro.

As investigações e as terapêuticas modernas diluíram estas diferenças, porque nos apercebemos de que havia neuroses com confusão mental, e, em contrapartida, as psicoses tratadas permitiam uma identificação consigo próprio e uma vida normal.

Como nos poderemos então orientar?

Procurando os quadros apresentados pelas diversas psicoses, e que são bastante diferentes uns dos outros.

Tag "Perturbações" | Pontos que Curam | ferramenta de diagnóstico e esclarecimento.
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com